• Punto e Filo

Cor é vida: como as cores interferem no ambiente e nas nossas emoções



Tendo a natureza como nossa verdadeira escola de harmonização, as cores estão presentes em nossas vidas as todos os momentos: mesmo quando não estamos pensando nelas.


Talvez por isso, pensar na beleza, harmonia e funcionalidade das cores seja algo tão importante para os principais mercados do mundo.


Onde há vida, há cor. Da cor rosa da vida de Edith Piaf ao vermelhaço de Fafá de Belém, a cor é fonte inesgotável de beleza e vida, não há como negar.


Sendo assim, este conteúdo é para ajudar você, amante das cores, a aprender melhor sobre elas! Trataremos sobre as categorias de cores, como elas interferem nos ambientes e como escolher as cores ideais para seus projetos!


Tudo pronto? Então, boa leitura!

As principais categorias de cores

Entre os vários estudos de cores, seus significados e significantes, uma das principais vertentes são as categorias das cores.


Como base inicial, temos:


  • cores primárias (azul, amarelo e vermelho);

  • cores secundárias (verde, roxo e laranja);

  • cores terciárias (azul-arroxeado, azul-esverdeado, vermelho-arroxeado, vermelho-alaranjado, amarelo-esverdeado, amarelo-alaranjado).


Mas indo mais além, temos a separação das cores em categorias que ajudam na escolha e separação delas.

Cores Quentes

As cores com características mais fortes, chamativas, agressivas e que se destacam na multidão. São conhecidas pelo caráter de alta personalidade e poder, mexendo com as emoções mais intensamente que quaisquer outras.


Nessa lista, podemos destacar o vermelho, amarelo, laranja, marrom e rosa como bons exemplos de cores quentes.

Cores Frias

Em contramão às cores quentes, existem as cores frias, caraterizadas pelo caráter suave e confortável de suas combinações. São cores agradáveis aos olhos, transmitindo a sensação de paz, harmonia e limpeza.


Elas funcionam muito bem para conseguir criar ambientes convidativos e relaxantes, permitindo que a sensação de paz seja mais intensificada.

Entre as cores frias, destacam-se o verde, todas as tonalidades do azul e o violeta.

Cores Claras

Cores muito famosas na arquitetura e design de interiores, essas cores tem como característica a simplicidade, atuando de maneira etérea nos ambientes para aumentar a sensação de limpeza e conforto.


São geralmente cores secundárias que estimulam a percepção de alívio, ajudando também a destacar peças de cores mais presentes, como as cores frias e quentes do ambiente, por exemplo.


Em sua categoria, destacam-se os tons claros do roxo, laranja e rosa, cores-chave para ambientes harmoniosos, moda feminina e artigos de decorações.

Cores Escuras

Com o viés de destaque, as cores escuras deixam o ambiente mais pesado e destacado, principalmente quando ministradas em conjunto. Podem criar ambientes sofisticados, elegantes e modernos. Além disso, são excelentes para destacar itens e outras cores.


Aqui podemos destacar o preto, tonalidades de cinza, verde, azul e vermelho-escuros. Comuns no vestuário masculino e em ambientes rústicos, por exemplo.

Cores Vivas

Sua principal característica é o destaque, o exagero. Assim, as cores vivas trabalham a emoção mais intensa, seja ela qual for. É como andar nas ruas ouvindo sua música favorita no fone de ouvido: é o clímax.


Comum em redes de fast-food e no vestuário infantil, seu uso do design de interiores é comum, principalmente quando o preto e branco também estão presentes.


Contrastes são muito bem-vindos, principalmente quando a intenção é harmonizar o ambiente e evitar que as cores tomem o lugar de falta de equilíbrio, de indelicadeza e aborrecimento.


Aqui estão o vermelho, o laranja e outras cores quentes que podem chamar muita atenção, portanto, cuidado!

Cores Pastéis

Trabalhando o equilíbrio, os tons pastéis são cores mais leves que visam o caráter contemplativo. São cores mais leves que deixam o ambiente (ou vestuário, onde são muito presentes também) mais harmônico.


Mesmo assim, seu uso pode ser apático e melancólico, necessitando na maioria das vezes de um contraste que viabilize a beleza do ambiente.


Podemos destacar os tons terrosos, verde, azul e rosa-claros.

Escolhendo as cores ideais


Agora que você já conhece com mais detalhes as categorias de cores existentes, é preciso compreender também como escolher as cores ideais para seus projetos e ambientes.


Vale ressaltar que cada uma dessas dicas existem para guiar seus processos criativos e ajudar a estimular suas obras com mais assertividade e sucesso.

Propósito

Antes de começar a jogar cores para todos os lados, é preciso compreender o porquê de cada uma delas. Pergunte-se:


  • Qual a intenção desse uso?

  • Para quem ele é destinado?

  • Qual o efeito desejado?

  • As cores escolhidas são muito clichês? Elas causam estranheza?

  • Quais são mais essenciais?

  • Quais conversam mais com o propósito do ambiente em si?


Perguntas como estas te ajudarão a escolher com mais eficácia, uma vez que o projeto estará mais claro, assim como o objetivo dele.

Ordem

Entendendo como o ambiente conversa e para quem ele é destinado, agora é hora de começar a escolher as cores para o desenvolvimento artístico do projeto.


Esteja familiarizado com as características de cada cor antes de escolher, tais como:


  • Matriz - a cor escolhida;

  • Luminosidade - a sombra existente nessa cor, ou seja, a quantidade de preto e branco presente nela;

  • Saturação - a intensidade da cor escolhida;


Além disso, vale também o estudo da psicologia das cores: como elas estimulam as emoções, como podem interferir na harmonia dos ambientes e nas sensações das pessoas.


Este tema é bastante interessante e será abordado em um outro conteúdo que será lançado em breve, portanto, continue acompanhando o Blog da Punto e Filo!


Ainda sobre a ordem das escolhas, queremos que você pense em uma tela de pintura: imagine uma tela branca pronta para ser trabalhada. Para conseguir colocar suas ideias nela, será necessário compreender que, geralmente, toda a tela terá uma nova cor.

Assim, comece a pensar do fundo para fora: qual será a cor que abraçará todas as outras? Os tons mais claros são mais comuns e funcionais, o que não descarta o uso de outras cores, tudo varia segundo as peculiaridades do seu projeto.


Mesmo assim, criar uma ordem cronológica das cores te trará mais facilidade na hora de produzir, permitindo uma melhor percepção da peça final.


Então, como regra geral, escolha a maior tela primeiro (o fundo), depois a segunda maior e assim por diante.

Paleta

Compreendendo qual será o fundo, você entenderá perfeitamente qual a paleta de cores mais caberá para o desenvolvimento do projeto.


Já mencionamos combinações poderosas neste conteúdo, mas podemos ir mais além: trabalhe mais as tonalidades que as cores! Essa dica pode parecer simples, mas é essencial.


Com diferentes tons será possível criar mais combinações harmoniosas do que os tons intensos das cores, permitindo que suas peças agreguem ainda mais aos ambientes.


Dentro deste tema, podemos dar mais uma dica importante: conheça bem o círculo cromático!

Círculo Cromático

O Círculo cromático é um consultor de cores e tons, comum em diferentes áreas: nas artes, no design e muito mais.


Em seu círculo, podemos ver as 12 cores (primárias, secundárias e terciárias) lado a lado, entendendo como elas conversam entre si.


As cores análogas, por exemplo, são as cores lado a lado (sempre analisando 3, uma ao meio e suas duas laterais), onde podemos trabalhar as tonalidades dessas 3 cores para montar uma paleta de cores eficaz.


Já as cores complementares são as cores opostas do círculo, onde trabalhamos destaque e contraste. Elas conversam entre si com mais intensidade que os tons, por exemplo, e podem gerar peças incríveis, fortes e muito características.


Compreender o círculo cromático será essencial para construir paletas de cores harmônicas e cheias de personalidade, o que nos leva ao último tópico deste texto!

Originalidade

De nada adianta fazer um bom trabalho se ele já existe: nada de cópias! A originalidade é o que constrói carreiras, vidas, cria gerações de artistas e movimentos artísticos em todo o mundo.

Nunca confundam: inspiração e originalidade podem, sim, andar juntas, quando bem idealizadas. Valorize sempre sua personalidade e visão, faça peças que te inspirem a seguir em frente.


Como uma vez disse Leonardo da Vinci: “A Lei suprema da arte é a representação do belo”. Portanto, apresente e crie o seu belo, e deixe as pessoas se inspirarem por você!


Gostou deste conteúdo? As cores movem o mundo, e assim como elas se inspiram nele, nós também devemos!


Conheça coleções inspiradoras e se apaixone por cores, arte e design criados nos estúdios da Punto e Filo!


Além disso, acreditamos que sua casa deve ser seu oásis: belo, feliz e confortável como você sempre sonhou. Podemos te ajudar neste processo! Fale conosco e deixe nossa equipe encontrar o tapete perfeito para você, clique aqui!

73 visualizações0 comentário